Na Roda Viva do Samba
    Uma cadência de origem tribal com batuque rítmico, sonoro e envolvente une-se quimicamente a inocente letra inspirada no cotidiano, no território iluminado por um verão vermelho na maior parte dos dias.

    A música vem da inspiração e criação dos grandes poetas-compositores desde a velha guarda até os ousados jovens que repaginam cada ritmo nos mesmos instrumentos musicais. Mas não falta um tambor, um pandeiro, um tamborim, uma cuíca, um violão e um bandolim, para completar o show com cantores envolventes.

    Uma alegria contagiante que causa amor eterno se apresenta acompanhada de uma bateria marcante num botequim brasileirinho, com mulatas bronzeadas de sol ou de negritude natural, despertando alegres a cantar, um convite aos rapazes loucos para dançar.

    No êxtase, o suor vem a pele num calor sensual e pede algo exótico pra saciar uma sede sem tamanho, algo como um cerveja bem gelada, uma caipirinha de cachaça genuína, ou um suco natural de qualquer fruta tropical.Corações apaixonados inspiram a letra, com ciúme, traição amorosa, desejos e fantasias dentro e fora das cabeças, num jogo de palavras, humor e solidão, que sempre se define como um pecado original. É o Samba!

    Venha homenagear esta magia bem brasileira numa roda samba, suor e cerveja, cantando com os Amigos do Peito.