Mama África
    A África pode ter sido o continente onde surgiu a raça humana. Os mais antigos fósseis de hominídeos encontrados têm cerca de 5 milhões de anos. Talvez seja o “berço da humanidade” onde apareceu nossa espécie. Mama África desperta em nós um grande fascínio por sua história, fauna, população negra predominante e seu folclore. Sua imponência no globo terrestre nos convida a redescobrir suas belezas e sua inspiração.
    Esta inspiração, presente em nosso cotidiano, está na arte e cultura brasileira, na música, na linguagem, nos costumes, na gastronomia, em nossa descendência étnica, numa influência sem medidas.
    A presença africana pode ser sentida de norte a sul. Samba, capoeira, candomblé, feijoada, símbolos de origem africana conhecidos dentro e fora do País, marcam a cultura afro-brasileira internacionalmente. Essas manifestações são frutos de longa luta por autonomia e reconhecimento cultural travada pelos negros ao longo de séculos.

    Os africanos, no Brasil, apesar de sua dramática situação de escravizados, não ficaram passivos. Por meio de sua produção cultural conquistaram espaços de atuação e reinventaram sua identidade étnica em solo brasileiro.

    Em tempos de resgate, vamos homenagear a África pensando que às vezes esquecemos nossa origem e a importância que tem em nossas vidas. Resgatemos nossa origem, vivendo-a intensamente!